Video | Pessoal | Preconceito

|
Ontem à noite deparei-me com este video no Facebook e fiquei de boca aberta.
Podia ser um video banal, de uma entrevista a crianças sobre contos africanos. Aquelas entrevistas/reportagens que vemos nos telejornais e que acabamos sempre por nos rir um pouco das respostas dos mais pequenos. Podia, mas não é!
Não podia deixar de partilhá-lo aqui convosco, partilhar a resposta excelente deste menino, Gustavo, de apenas 10 anos. Repito, DEZ ANOS. Digo-vos uma coisa, tem uma mentalidade melhor do que muitos adultos que já conheci. 
O video não é sobre contos africanos, é a visão de um menino sobre racismo e preconceito.



Vale a pena ver!
Posted by Sou Yawo on Quinta-feira, 11 de Junho de 2015


Pensei em dedicar este post a uma pessoa, de quem tenho uma memória relacionada com este assunto, mas de facto, não seria digno disso. Vi este video e na minha cabeça revivi aquele momento. Provavelmente a pessoa mais preconceituosa e racista que alguma vez conheci. Um homem que nunca mais vi, mas que até hoje me dá nojo só de pensar.

Nos meus tempos de adolescência, lá pelos meus 15 ou 16 anos tive uma grande paixoneta por um colega de escola (quem não teve?) e deve ter sido a minha paixoneta de adolescência que durou mais tempo, agora, olhando para trás foi bem cómica, dou por mim a pensar que quando estamos nestas idades parece que vamos morrer de amores e que a nossa vida é um filme. Mas bem, o rapaz em questão era mestiço (?), se assim se pode dizer, porque sinceramente, eu bronzeada era mais escura que ele, só não era descendente de africanos. Sinceramente, isso nunca me importou. Lembro-me que o que me cativava era a personalidade forte e o facto de ser muito divertido (dos mais palhaços da turma...).
A minha mãe sabia, como sempre soube dos meus amores e desamores, graças à fantástica relação que temos. É claro que a minha paixoneta nunca deu em nada, era mais uma cena platónica que outra coisa, mas enquanto me senti "perdidamente" apaixonada, era a coisa mais séria do mundo.
Uma noite, um amigo da minha mãe foi jantar a nossa casa, deixem-me já frisar que nunca simpatizei muito com a pessoa (sou excelente em avaliações). Tudo estava a correr bem, até ao momento em que tal pessoa começou a fazer comentários racistas sobre os tempos em que viveu em Moçambique, sobre as suas "criadas" e sobre os "pretos" em geral. Eu, do alto da minha adolescência, comecei a ficar um bocado irritada e a insistir que não podia julgar as pessoas pela cor ou pela aparência. Dei-lhe, já meio desesperada, o exemplo de que a minha melhor amiga (preta, por sinal) e o tal rapaz de que eu gostava, eram duas das pessoas mais inteligentes que conhecia. Aliás, eram os melhores da turma. E lembro-me que o terceiro era também ele preto. 
O senhor insistiu, insistiu. Na altura o meu sonho era ter enveredado pelo caminho de "assistência social" e ir trabalhar "pro-bono" para moçambique e, na altura era muito convicta disso (com a idade, mudei de planos) e o tal "senhor", à MINHA mesa de jantar, na MINHA casa, começou deliberadamente a insultar-me por ter essa ideia e a mentalidade de que as pessoas não são rotuladas por cores. Se assim fosse, até eu deveria ser descriminada, bastava-me apanhar sol para ficar mais escura que o tal rapaz. E os meus pais são brancos. Insistiu, insistiu.... fiquei enojada com a conversa, cruzei os talheres, levantei-me da mesa e disse:
- "Lamento imenso, mas não contem comigo para jantar. Desculpa, mãe, mas recuso-me a sentar-me à mesa NA MINHA CASA, com este tipo de pessoas que me dão nojo. Bom jantar."
E assim me retirei. Pelas costas, ouvi a minha mãe a aturar que tinha uma filha "muito mal educada", que a minha atitude tinha sido "uma falta de respeito", etc. Sabem que mais? Falta de respeito é ir a casa de alguém insulta-la. Eu estava na minha casa. Na minha casa não admito que me faltem ao respeito a mim, ou a ninguém de quem eu gosto. Aquele senhor nunca mais me dirigiu a palavra (e há que frisar que era o meu vizinho do r/c), sabem que mais? Foi um favor que me fez.
Levantei-me da mesa com 16 anos e levantar-me-ia agora com 25 ou quando tiver 40. Com uma única diferença. Provavelmente, ter-lhe ia dado um par de estalos, convidado a sair da minha casa e no fim, fechava-lhe a porta com um simpático "Vá-se f***r!".
Acreditem, não vale a pena descrever aqui o tipo de comentários feitos, mas até hoje, quase 10 anos depois, eu continuo a lembrar-me de cada um deles, a saírem da boca daquele homem com um ar asqueroso, ar esse que correspondia, de facto à sua personalidade e continuam, até hoje, a deixar-me igualmente irritada. Não sei se já perceberam, mas sou de grandes convicções, muitas delas instauraram-se desde tenra idade e por cá permanecem. Aceito quem pense de forma diferente de mim, se me derem uma justificação plausível, só não aceito justificações baseadas em desrespeito, muito menos na minha casa. 

Não lhe dedico este post, não é digno disso. 
Dedico-o a duas pessoas. A. e T. As pessoas que defendi nessa noite (embora se tivessem estado presentes, de certeza que não precisariam da minha defesa, ambos teriam sido muito bons nisso). 
E aos restantes, que continuam a ser julgados, sem lhes darem uma oportunidade, tantos anos passam e pouco muda... 
Este menino tem apenas 10 anos e tem uma mentalidade tão melhor que a de muitos adultos que já conheci em toda a minha vida. Precisamos de mais mentalidades assim, mais Gustavos. Rapidamente!


"Nunca é bom você debater a pessoa, para deixa-la no chão. (...) Você saber pedir, saber ajudar, não é ser fraco, ser fraco é você não saber pedir, não saber respeitar, não saber ajudar para não parecer fraco. (...) Eu sou negro, mas eu tenho dois olhos dois braços, duas pernas dois rins, um pâncreas, um fígado... Tudo o que você tem, tudo o que muda é a cor da pele e a personalidade, porque o carácter é a única coisa que quase nada pode mudar!" - Gustavo Gomes da Silva.

"A discriminação racial é uma atitude tão ingénua, que o racista torna-se um perfeito idiota e não percebe." - Guibson Medeiros.


Beijinhos,
Telma

8 comentários:

  1. Texto perfeito e vídeo excelente.
    Só tenho elogios!
    O racismo tem que ser exterminado.
    Um beijo

    Dicas para Todas

    ResponderEliminar
  2. Infelizmente eu fui muito gozada pela a minha cor de pele (tenho pele negra), e pelo vistos muitos outros já aconteceram a eles também. Eu fico tão triste as pessoas que são racistas porque lá porque eu e outros termos uma pele diferente da nossa não significa que sejamos menos inteligentes que os outros. Nós somos tão iguais, ou mais do que ísso. E a prova é tua história.
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha eu lamento imenso que tenhas passado por uma situação dessas. Acho todos os tipos de bullying ridiculos, mas o relacionado à cor acho que é ainda pior. Muitos tipos de bullying são acontecimentos fruto de ideias parvas dos miudos (outros são casos mais sérios), mas o bullying racista é duplamente chocante. Porque o bullying racista é deliberadamente incentivado pelos pais. Sim, porque nenhuma criança nasce racista só porque sim. O racismo é ensinado em casa... É claro que pode ser desaprendido, mas nalguns casos permanecem as ideias deturpadas. O problema do racismo está nas gerações que o vão propagando só porque sim. A meu ver, as pessoas racistas sofrem de grandes complexos de inferioridade, pois só isso pode justificar a necessidade de rebaixarem outras pessoas baseando-se apenas na cor da pele.

      Espero que não tenhas que passar por mais situações do género.
      Um grande beijinho :)

      Eliminar
  3. Há pessoas que têm tanto, mas tanto a aprender com as crianças! Fizeste muito bem em fazer frente a esse "senhor", que deve ter uma vida muito amargurada para pensar uma coisa dessas. As pessoas não se fazem pela cor de pele, mas pelo caráter.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também acho Andreia! Olha, como disse à Jess, acho que as pessoas que precisam de descriminar outras pela cor e de rebaixa-las devem, além de ser pessoas muito infelizes e amargas, terem elas mesmas um enorme complexo de inferioridade. O preconceito serve-lhes como máscara do seu enorme défice de inteligencia.
      Beijinhos :)

      Eliminar
  4. Gostei muito do teu blog!
    Se puderes vista o meu blog e se gostares segue...se seguires deixa comentário :)
    Beijinhos

    http://beautifullsecrets.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Concordo contigo, há certas pessoas que têm atitudes muito estúpidas. Eu tinha uma amiga de cor e as pessoas julgavam ela, por ela ter uma cor diferente da nossa, ela era a minha melhor amiga, então eu defendia ela sempre que podia, os meus pais proibira-me de falar com ela, porque eu estava a ficar muito mal comportada, mas eu não liguei e continuei e agora os meus pais adoram ela, pois conheceram ela melhor! Odeio o racismo!
    Beijos**
    http://lolitosfritos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

A sua opinião é importante!
Deixe a sua opinião nos comentários :)

Google Analytics Alternative