Filme | Me, Earl and the Dying Girl

|

Hoje é dia de filme aqui no blog, coisa que já não fazia há algum tempo.
O filme de hoje é "Me, Earl and the Dying Girl", que numa tradução livre, assim de repente, seria Eu, o Earl e a miúda que vai morrer (ou algo do género).
Antes de mais, este filme é diferente do tradicional e há que deixar isso bem assente no começo. Não se trata de um romance, isto é, não se trata de um daqueles filmes em que um rapaz se apaixona por uma rapariga que tem cancro. É uma história de amizade e de aprender a deixar os outros entrarem no nosso mundo. 

Greg (Thomas Mann), está no último ano do secundário e tenta passar o mais despercebido possível na escola. Evita interacções pessoais muito profundas, apenas cumprimenta colegas de forma superficial, sendo conhecido, mas mantendo-se numa posição neutra em todas as relações sociais dos jovens estudantes. Enquanto isso, Greg e Eal (Rj Cyler), o seu único amigo, realizam filmes filmes estranhos e bizarros em segredo. 
Alguns dos títulos dos filmes que Greg e Earl realizavam
Quando a mãe de Greg o obriga a visitar e fazer amizade com uma rapariga que foi diagnosticada com leucemia, a amizade e anonimato de Greg e Earl é abalada. Esta amizade forçada acaba, eventualmente, por se tornar numa amizade real entre Greg, Earl e Rachel (Olivia Cooke) que influência a vida de Earl bem como o seu percurso académico e a possibilidade de entrar numa universidade.

Como vos disse, o filme é um registo diferente do normal, obviamente, não vou entrar em muitos detalhes, porque não tem piada nenhuma ver um filme já se sabendo tudo o que acontece. Não é um filme muito agitado ou cheio de emoções do começo ao fim. É subtil, até um pouco parado, no entanto, se pensarmos na perspectiva de como retrata a vida real, torna-se muito interessante. Para mim, as emoções mais fortes estiveram todas nos últimos 40 minutos de filme.


Apesar de não ser propriamente o meu estilo, aconselho o filme pela história que está por trás dele, se pensarmos não propriamente na questão da doença, mas sim nas formas como nos relacionamos nos outros, como fazemos (ou não) amizades e de como é deixar alguém entrar no nosso mundo.
Não é um filme sobre cancro, leucemia, sobre a doença, apesar de estar relacionado com isso. É um filme sobre relações sociais, sobre amizades, sobre entrar no mundo de alguém e deixar alguém entrar no nosso, com todos os momentos bons, menos bons, com os conflitos e com todos os medos e receios de uma amizade.

Aqui fica o trailer:

Já tinham ouvido falar neste filme? O que vos parece?

4 comentários:

  1. Nunca tinha ouvido falar, mas fiquei curiosa!

    ResponderEliminar
  2. Já vi o trailer a passar na TV britânica, pensei que fosse romance mas sendo assim, já tornou-se mais interessante.
    Certamente um filme na minha lista.

    ~ Carla'C
    Coisinhas da Carla'C
    Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando fui ver o filme, a julgar só pelo nome e descrição que li, também pensei que fosse um romance, mas dentro do género, é mesmo um filme diferente.
      Quando vires conta o que achaste!:)

      Eliminar

A sua opinião é importante!
Deixe a sua opinião nos comentários :)

Google Analytics Alternative