O dia em que me tentaram raptar...

|
Já foi há quase 20 anos, mas foi um dia que me ficou para sempre gravado na memória. 
O dia em que me tentaram raptar, a mim e à minha melhor amiga.


Tinha, na altura, 6 anos, a minha amiga Idália tinha 5. Vivia numa terra no alentejo, um sítio onde toda a gente se conhecia, onde as portas podiam estar abertas e as crianças podiam brincar tranquilamente nas ruas, sem perigos.
Numa dessas tardes, em que brincava na rua onde morava, num espaço a poucos metros da minha casa, enquanto bebia o meu iogurte liquido... Uma carrinha Ford Transit vermelha parou de frente ao espaço onde eu e a Idália brincávamos. Ela não ligou, queria brincar e chamava-me para ir ter com ela, mas eu congelei, por alguns segundos, a olhar para aquela carrinha. Lá dentro, um homem velho, de etnia cigana com barbas enormes, roupa preta e o típico chapéu preto, ao seu lado uma mulher também da mesma etnia, aparentava ser um pouco mais nova, também ela com longo cabelo.
Congelei durante breves segundos e gravei aquela imagem na minha memória até hoje. Durante aqueles breves segundos lembrei-me de todas as vezes que a minha mãe me dizia "Telma, não converses com estranhos, se alguém for buscar-te à escola e disser que fui eu que pedi, nunca acredites e não vás com ninguém", "se algum estranho te tentar agarrar, grita e nunca vás nem converses com ninguém que não conheces". Pensando no assunto, a minha mãe quase podia parecer paranóica com este medo que alguém me levasse, mas a verdade é que, provavelmente, se não tivesse repetido tanto estas frases, talvez hoje não estivesse a escrever este texto e talvez a Idália não tivesse a filha linda que tem.
A Idália continuava a chamar-me para brincar. Eu chamava-a para irmos embora, baixinho para que eles não ouvissem "Idália, vamos... Idália, vamos!"... Mas ela não vinha. O homem mexeu-se para abrir a porta e, naquele momento, gritei "Idália, corre, corre!!!" e desatei a correr em direção a casa. Pelo caminho entornei todo o iogurte em cima da roupa, entrei em minha casa (que por sorte tinha a porta aberta), onde as nossas mães conversavam.
"Mãe, o cigano vai levar a Idália, rápido, rápido".
Elas apressaram-se a correr para a porta e, quando lá chegaram, já o homem agarrava a minha amiga pelo braço. A mãe dela gritou e, ao perceber que tinha sido "apanhado", desculpou-se dizendo que só tinha ido apanhar o cigarro que tinha caído. No calor do momento, nenhuma das nossas mães apontou a matrícula da carrinha, mas mais tarde ficámos a saber que, pela descrição, essa mesma carrinha e essas duas pessoas já eram procuradas pela polícia por tentativa de rapto. A Idália contou depois que, no minuto ou dois em que corri até minha casa, o homem agarrou-a e tentou aliciá-la a entrar na carrinha com eles para "dar um passeio", dizendo que tinha uns doces para lhe oferecer... 
Nunca mais me esquecerei deste dia, daqueles rostos e do pavor que senti. A Idália também não. Falamos de tempos a tempos sobre isso. Ela já é mãe e eu, acredito que no dia em que for, vou ter ainda mais a paranóia de insistir como a minha mãe insistiu comigo. Raptar uma criança é uma coisa muito fácil, com ou contra a vontade da criança, mas se dizer frases como estas ajudar a prevenir, então não tenham medo de parecerem paranóicos porque, no meu caso, se não fosse isso, eu e a Idália estávamos sabe-se lá onde e como. Quando saem com os vossos filhos estejam sempre atentos e quando eles não estão convosco, avisem sempre para que estejam atentos a estranhos.
Hoje vi este video, que partilho abaixo, de várias tentativas de rapto e é assustador. Foram situações como a minha em que quase conseguiram (algumas com mais violência) e tudo isto me faz lembrar que é muito fácil, com os pais por perto ou não. E tudo isto me arrepia e me dá muito medo, principalmente porque é uma situação que, cá em casa, sabemos bem que não bate só à porta dos outros... também já bateu à nossa.

Deixo-vos a baixo dois videos, o primeiro de várias tentativas de rapto, muitas delas com os pais a acompanharem as crianças e outro, que já vi há algum tempo, em que um youtuber, acompanhado de um cão (com autorização dos pais) aborda as crianças que estão sozinhas num parque e tenta que elas o acompanhem. Todos os pais apostavam que os filhos iam correr para eles e não dar conversa a um estranho... e todos se enganaram.


MUITA E REPITO MESMO MUITA ATENÇÃO PAIS TODO E REPITO TODO O CUIDADO É POUCOBASTA APENAS UNS SEGUNDOS DE DISTRACÇÃOMUITO CUIDADO OLHOS BEM ABERTOSPARTILHEM O MÁXIMO QUE PUDEREMOBRIGADOBEM HAJA A TODOS
Publicado por Pedro Gomes em Terça-feira, 19 de Janeiro de 2016
.



Partilhem com os vossos amigos o video, estejam sempre atentos e eduquem as crianças para que, também elas, estejam alerta para estranhos.

2 comentários:

  1. Realmente é de extrema importância. E não se trata só de crianças. Muitas adolescentes e até mais velhas vão em busca do sonho de serem modelos e depois... Depois é o que se sabe. Nunca é mesmo demais o precaver!!!

    ResponderEliminar
  2. Eu passei por uma situação desse genero, é muito mau mesmo...
    nfim o meu pai logo resolveu a situaçãooo...


    Beijooo,
    www.wordsofsophie.com

    ResponderEliminar

A sua opinião é importante!
Deixe a sua opinião nos comentários :)

Google Analytics Alternative